Linhas de Pesquisa

  1. CULTURAS, RELIGIÃO E REPRESENTAÇÕES SOCIOESPACIAIS

RESUMO: A linha de pesquisa Culturas, Religião e Representações Socioespaciais, procura responder a pergunta sobre quais representações socioespaciais se configuram a partir das dinâmicas culturais, educacionais e religiosas do Alto Solimões. Assim, tem como objetivo produzir conhecimentos acerca dos componentes simbólicos que permeiam as dimensões da vida humana que constituem as expressões e atividades nos campos da Cultura, da Educação e da Religião, bem como das múltiplas formas de Representações Socioespaciais, de base Fenomenológica, nas interfaces Geográfica, Antropológica, Sociológica, Histórica e Religiosa, exercidas no dia a dia da população do alto Solimões.

 

  1. ESTADO, TERRITORIALIDADES E CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS NA AMAZÔNIA

RESUMO: De que forma agentes e seus interesses diversos constituem territorialidades e conflitos por meio da apropriação social da natureza? Com base neste questionamento, a linha de pesquisa procura suscitar reflexões acerca das relações entre o Estado e as sociedades locais face aos conflitos socioambientais no mundo rural contemporâneo da Amazônia brasileira. A perspectiva consiste na discussão sobre as modalidades dos conflitos socioambientais resultantes das formas de uso e apropriação dos recursos naturais, por um conjunto de atores sociais.

 

  1. AGROBIODIVERSIDADE, GESTÃO DE RECURSOS E BENS COMUNS

RESUMO: Quais as potencialidades, práticas de manejo e uso social da natureza no Alto Solimões? Os contraditórios debates no uso social da natureza, da racionalidade econômica a racionalidade ambiental, contextualizam diversas nomenclaturas para o que é “fornecido” pela natureza, de recursos a bens comuns. Independente, mas interligados, as lógicas espaciais de produção-circulação-distribuição-consumo, apresentam práticas de gestão e de manejos particulares, que dependentemente, mas diferenciados, da racionalidade contextualizada, enquanto sistema impactam todos os elos desta lógica. Visto que, as práticas agroecológicas, as tecnologias sociais e as inovações produzidas são causas e consequências das potencialidades oferecidas pela natureza. Neste sentido, o objetivo desta linha de pesquisa é identificar as potencialidades de uso social, analisando as suas cadeias produtivas, para contextualizar as suas práticas de gestão e manejo.

 

  1. POVOS INDÍGENAS E SOCIEDADES AMAZÔNICAS TRANSFRONTEIRIÇAS

RESUMO: A linha de pesquisa Povos Indígenas e Sociedades Amazônicas Transfronteiriças caminha para responder a pergunta: quais são e como operam as dinâmicas de manutenção, redefinição ou criação de fronteiras socioespaciais no Alto Solimões? Portanto, esta linha de pesquisa objetiva congregar pesquisadores de diferentes instituições e  fomentar o desenvolvimento de pesquisas voltadas à compreensão de processos que  envolvem os povos indígenas e outras formações sociais da tríplice fronteira. A atualidade  das relações interétnicas, da relação dos povos indígenas coma estrutura administrativa e burocrática dos estados nacionais, assim como, com diferentes organizações não- governamentais nacionais e internacionais, devem fazer parte do foco da atuação dos/as  pesquisadores/as vinculados a esta linha de pesquisa, pois, a partir deste quadro complexo de relações podemos produzir conhecimento acerca das dinâmicas de manutenção, redefinição ou criação de diversos níveis de fronteiras, sejam elas simbólicas, políticas ou territoriais, das suas dinâmicas de mobilidade e dos conflitos resultantes de ações políticas e econômicas voltadas à esta região transfronteiriça.

 

  1. SABERES SOCIOAMBIENTAIS E PAISAGENS

RESUMO: Quais as transformações e permanências nas paisagens do Alto Solimões a partir do processo de ocupação humana? Esta linha de pesquisa tem o objetivo de estudar o processo de ocupação e desenvolvimento do Alto Solimões a partir das interações socioambientais e das transformações materiais e simbólicas que se processam na região. As pesquisas discutem questões relacionadas a formação das paisagens (em suas diversas acepções), a constituição de um patrimônio cultural, bem como a história ambiental e os saberes relacionados as diferentes formas de uso e apropriação da natureza. Além disso, numa perspectiva estratégica de desenvolvimento econômico e social, os trabalhos estudam a promoção do turismo como forma de desenvolvimento sustentável para a região.

  1. Notícias
  2. Mais visto

Calendário

« Outubro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  
 

Apoio/Parceiros